22 abril 2006

O Pacto de Deus com o homem


As Escrituras nos falam de Gênesis a Apocalipse sobre este pacto, do pacto de Deus com seu povo. È o tema central das Escrituras, o seu fator unificador. O domínio de Deus através de relacionamento pactual soberano. È a historia da redenção.


O Pacto de obras

O primeiro pacto feito com o homem era um pacto de obras; nesse pacto foi a vida prometida a Adão e nele à suas prosperidade, sob a condição de perfeita obediência pessoal.

O Pacto da Graça

O homem, tendo-se tornado pela sua queda incapaz de vida por esse pacto, o Senhor dignou-se fazer um segundo pacto, geralmente chamado o pacto da graça; nesse pacto ele livremente oferece aos pecadores a vida e a salvação por Jesus Cristo, exigindo deles a fé nele para que sejam salvos; e prometendo dar a todos os que estão ordenados para a vida o seu Santo Espírito, para dispô-los e habilitá-los a crer.

As dispensações da Graça(Testamentos)

Este pacto da graça é freqüentemente apresentado nas Escrituras pelo nome de Testamento, em referência à morte de Cristo, o testador, e à perdurável herança, com tudo o que lhe pertence, legada neste pacto.

A antiga dispensação ou Velho testamento

Este pacto no tempo da Lei não foi administrado como no tempo do Evangelho. Sob a Lei foi administrado por promessas, profecias, sacrifícios, pela circuncisão, pelo cordeiro pascoal e outros tipos e ordenanças dadas ao povo judeu, prefigurando, tudo, Cristo que havia de vir; por aquele tempo essas coisas, pela operação do Espírito Santo, foram suficientes e eficazes para instruir e edificar os eleitos na fé do Messias prometido, por quem tinham plena remissão dos pecados e a vida eterna: essa dispensarão chama-se o Velho Testamento.

A nova dispensação ou Novo testamento

Sob o Evangelho, quando foi manifestado Cristo, a substância, as ordenanças pelas quais este pacto é dispensado são a pregação da palavra e a administração dos sacramentos do batismo e da ceia do Senhor; por estas ordenanças, posto que poucas em número e administradas com maior simplicidade e menor glória externa, o pacto é manifestado com maior plenitude, evidência e eficácia espiritual, a todas as nações, aos judeus bem como aos gentios. É chamado o Novo Testamento. Não há, pois, dois pactos de graça diferentes em substância mas um e o mesmo sob várias dispensações.



Extraído da Confissão de fé de Westminster

3 Comments:

At 10:42 PM, Anonymous lucas stofel said...

ai lendo aconfissão ne, vai descobrir coisas boas ai e desafiadoras a vc ou não né depende do seu ponto de vista, mas se vc puder ler um comentario sério dela vai ser legal

 
At 10:54 PM, Anonymous lucas said...

o lele o meu leite, ou meu primeiro alimento foi a c f westminster eu podia não ser tão tradicional quando adolescente, mas minhas convicçôes eram essas básicas reformadas e colocadas na c f w eu li bastante da cfw comentada por a a hodge, por icentivo do meu pastor que na época estava fazendo uma série de estudos sobre a doutrina reformada. e mesmo que vc ache que eu saiba muito pouco ou quase nada e me ache imaturo eu procuro ter bases nas minhas afirmações, não vem dos cocos, um abraço, boas férias . Apesar de vc estar numa eterna férias.
não prescisa publicar se não quizer, mas se quizer vc já tem dois comentários

 
At 10:52 AM, Blogger Renato Luiz said...

Realmente muito bom este texto,
Grande abraço Lelê!
Deus te abençoe muito!

 

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home