25 setembro 2006

Somos todos fracos

Somos inclinados por nossa natureza a achar que somos fortes suficientes para enfrentar as dificuldades. Temos a tendência de depositar a nossa confiança em nossas próprias capacidades e formamos uma noção exagerada de nossa força, estando certos de que passemos o que passemos, seguiremos permanecendo invencíveis. Nos enchemos de uma confiança carnal e vã, como se o nosso poder fosse suficiente e prescindisse a Graça de Deus.

Dessa forma, somos atribulados por Deus e por meio da humilhação descobrimos o quão fracos somos e dependentes dessa Graça, que excede todo entendimento.

“[...] os crentes recebem uma grande benção por meio da humilhação. Despojados assim de sua estúpida confiança na carne, se refugiam em Deus, e uma vez que o têm feito, experimentam a presença da divina proteção , que lhes é uma fortaleza inexpugnável.”
João Calvino

Algumas vezes, Deus nos dá tribulações para provar a nossa fé. Mas se Deus é onisciente e já sabe o resultado da prova, por que mesmo assim ele nos testa? C.S. Lewis em um momento de profunda aflição diz assim:

“Deus certamente não estava fazendo uma experiência com minha fé nem com meu amor para provar sua qualidade. Ele já os conhecia muito bem. Eu é que não. Nesse julgamento, ele nos faz ocupar o banco dos réus, o banco das testemunhas e o assento do juiz de uma só vez. Ele sempre soube que meu templo era um castelo de cartas. A única forma de fazer-me compreender o fato foi colocá-lo abaixo.”